105489_460s Dizem que com a idade uma pessoa tende a ficar mais flexível e a mudar a sua maneira de pensar. Em relação aos homens e ao que gosto neles, acho que ainda não cheguei bem a essa fase. Isto porquê? Sempre gostei de homens que tivessem tudo a ver comigo (se for analisar bem, acho que a maioria não tinha a ver comigo, ehehehe!): os meus gostos de cinema, de música, o mesmo tipo de humor. Com a idade, os amigos dizem que não posso ser assim e tenho de conhecer bem as pessoas, mesmo as que não têm nada a ver comigo porque no meio de algum desses “estranhos” estará o príncipe encantado. OK,  e se o “Príncipe Encantado” não gostar de cinema, for fanático por bola, der erros ortográficos, disser “vistes; comestes; dançastes”, achar que “Perspicácia” é um nome de um novo perfume…terei que me apaixonar por ele na mesma? Não me parece.

26 thoughts on “Namorado ou Gémeo Siamês?

  1. Hum…não me parece que a nossa "alma gémea" tenha de ser assim tão diferente de nós…acredito que tem de haver algo, algo que nos una. Um objectivo em comum, uma tendência, gostos. Há que haver algo em comum. Não acredito que me pudesse apaixonar por alguém que tivesse algumas características que não aprecio.

  2. com a idade tendemos a ficar mais compreensivos em certos aspectos em outros cada vez nos tornamos menos inflexíveis. da minha experiência própria as pessoas atraem-se por serem diferentes e não por serem semelhantes, a única coisa que acho que pode levar duas pessoas a idênticas a apaixonar-se é o sexo e a vontade de o saciar.

    bom fim de semana e bons filmes.

    sugiro-te: "No se aceptan devoluciones" filme mexicano Eugenio Derbez.

  3. Lá cantarolava o "Chico Fininho" que «…não se ama alguém que não ouve a mesma canção…»…

    Claro que um ente amado não precisa de ser um siamês, nem deverá ser um pai/mãe (pedindo sempre justificações por tudo e mais alguma coisa)… mas acho incomportável passar os meus dias ao lado de alguém com prazeres artísticos díspares dos meus.

    1. O Eros fez o comentário que caracteriza a minha opinião sobre o assunto. Se duas pessoas não têm nada em comum, não imagino como é que consigam passar épocas juntos.. Quer dizer, imagino pois os meus pais não têm nada praticamente nada em comum e já estão casados há mais de 35 anos, mas eu pessoalmente não conseguia partilhar o meu espaço pessoal com alguém que não tivesse nada em comum.. encontrei a minha "alma gémea" graças à música e ao cinema, foi isso que nos meteu na casa de partida 🙂

  4. A mim a idade tornou-me mais tolerante. Por exemplo, antigamente excluiria logo à partida um gajo que gostasse de futebol. Agora não, apesar de eu continuar a detestar futebol. No entanto, acho que um gajo que não goste de bom cinema (sendo que aqui bom significa o que eu ache bom, o que não inclui Star wars e cinema comercial) ou que não goste de ler não me servirá, mesmo se detestar futebol tanto como eu. Ou seja, acho que com a idade apenas começamos a distinguir em que é essencial assemelhar-se a nós. E se não gostar das coisas que são essenciais para nós, então simplemente não é o nosso "Principe Encantado", por muito bom tipo que for.

  5. Eu não tenho nenhuma check-list nem um tipo predefinido de mulher, cada caso é um caso. A inteligência e o sentido de humor são enormes turn on mas às vezes o coração quer cada coisa…

    Ah! Eu gosto de futebol mas não sou fanático nem pouco mais ou menos 😛

  6. Deves pertencer à " gauche caviar " ou então tens o passo maior que a perna……sim também tenho os teus gostos mas tenho um defeito de fabrico……gosto de USD e CHF !!!!

    Madame Blanche

  7. Don't EVER settle! Não o fiz. E encontrei uma pessoa com o mesmo humor, gostos musicais e cinematográficos muito parecidos, que não dá erros ortográficos (esta parte para mim foi a gota de água em vários relacionamentos…) e ao mesmo tempo é tão diferente de mim que até lembra aquela lamechice do "completa-me".
    Mas atenção: não acredito em almas gémeas nem em destino nem o raio que o parta. Acho que é mesmo uma questão de sorte (ou azar, depende de quem lê isto).
    E honestamente nunca percebi porque raio é que toda a gente acha que precisamos de ter alguém "com quem partilhar a nossa vida". Sou feliz com o magano, mas acho que sozinha também o ia ser =)

  8. Xiiii se não tiver mesmo nada que ver…acho que não te apaixonas. Eu acho que tem que haver pontos em comum, senão as conversas de um vão ser sempre uma seca para o outro. Tem que haver interesses em comum.
    Mas sim, com os anos (e as más experiências) a gente torna-se mais flexível. Eu acho que sou mais paciente e benevolente agora. Já não é tão tudo à minha maneira. Acho que estou mais equilibrada em relação aos outros, Ao outro, neste caso 😛

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *