50-50-Poster-610x459 Vimos Joseph Gordon – Levitt crescer na televisão, no “Third Rock from the Sun” e em relação a Seth Rogen,  estamos habituados a vê-lo quase sempre a fazer papéis “parvos”, onde goza com ele próprio, nos filmes de Judd Apatow. Neste filme, ambos são os melhores amigos, onde um acaba por ser a doença e o outro o remédio.  Na medida em que Kyle (Seth Rogen) faz tudo  para animar Adam (Joseph Gordon – Levitt), que padece de um cancro muito raro. É a química entre ambos que vai fazer com que este percurso não seja tão doloroso. Esta história é baseada em factos verídicos e conta a história de Will Reiser. Foi Seth Rogen que o convenceu a escrever acerca da sua jornada e pelo que passou. É uma comédia e um drama, ou seja, é um dramedy porque nos faz rir em variadas cenas, mas é possível que nos emocionemos nalgumas partes. As piadas de Seth Rogen estão sempre patentes em todo o filme mas é um tipo de humor cáustico cujo objectivo é animar o amigo. Acaba mesmo por compará-lo a Lance Armstrong, Dexter e Patrick Swayze, pois afirma que foram todos exemplos de histórias vencedoras. Adam recorda-lhe que Swayze afinal morreu…esta cena é hilariante. “High and Dry” dos Radiohead é a música que ilustra a cena onde Adam recebe o seu diagnóstico. Vi este filme quando saiu e gostei tanto que revi-o há uns dias. Argumento: Adam (Joseph Gordon-Levitt), de 27 anos, leva uma vida perfeitamente normal até ao dia em que descobre que é portador de um cancro raro e possivelmente fatal. Ao compreender a gravidade da situação, e apesar do apoio de Kyle (Seth Rogen), o seu melhor amigo, e da dedicação da sua mãe (Angelica Huston), resolve seguir o conselho do médico e procurar ajuda psicológica. É assim que conhece a Dra. Katherine McCay (Anna Kendrick), uma psicóloga que, apesar de pouco experiente, parece compreendê-lo melhor do que ninguém e com quem ele acaba por criar um vínculo que lhe dará novas forças para prosseguir. Consciente dos seus 50% de hipótese de sobrevivência, Adam acaba por combater a depressão e descobrir que, afinal, o sentido da vida é algo que está em constante renovação. Curiosidades: A cena onde Joseph Gordon -Levitt rapa o cabelo é totalmente improvisada porque não estava no guião. Embora não tenha sido a primeira opção, foi Seth Rogen que propôs JGL para o papel de Adam.  tumblr_mmul3yPJDs1r2f3rvo1_500 tumblr_n3g0rp3grC1sdnmoqo1_500  tumblr_mxunondbWd1qbtvygo1_r1_500   “It takes a pair to beat the odds””

13 thoughts on ““50/50” de Jonathan Levine (2011)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *