“As Gordinhas e as outras”

“As Gordinhas e as outras” – foi uma pérola escrita por Margarida Rebelo Pinto há uns anos. Nunca o “body empowerment” esteve tanto na moda e como cada vez mais são dadas a conhecer “plus size models” e influencers gordinhas, apeteceu-me fazer um upgrade a este post…

Então a nossa Margarida Rebelo Sousa escreveu o seguinte: “Serve esta crónica para retratar e comentar um certo elemento que existe frequentemente em grupos masculinos e que responde pelo nome genérico de ‘Gordinha’. A Gordinha é aquela amigalhaça companheirona que desde o liceu cultivava o estilo maria-rapaz, era espertalhona e bem-disposta, cheia de energia e de ideias, sempre pronta para dizer asneiras e alinhar com a malta em programas. Ora acontece que a Gordinha é geralmente gorda e sem formas, tornando-se aos olhos masculinos pouco apetecível, a não ser em noites longas regadas a mais de sete vodkas, nas quais o desespero comanda o sistema hormonal, transformando qualquer bisonte numa mulher sexy, mesmo que seja uma peixeira com bigode do Mercado da Ribeira.
A Gordinha é porreira, é fixe, é divertida, quer sempre ir a todo o lado e está sempre bem-disposta, portanto a Gordinha torna-se uma espécie de mascote do grupo que todos protegem, porque, no fundo, todos têm um bocado de pena dela e alguns até uma grande dose de remorsos por já se terem metido com a mesma nas supracitadas funestas circunstâncias. E é assim que a Gordinha acaba por se tornar muito popular, até porque, como quase nunca consegue arranjar namorado, está sempre muito disponível para os mais variados programas, nem que seja ir comer um bife à Portugália e depois ao cinema. (…)
E quanto às Gordinhas, o melhor é arranjarem um namorado. Ou uma dieta. Ou as duas coisas.

Agora deixo-vos as minhas considerações…também de há alguns anos atrás. Nos dias de hoje, muito provavelmente “polia” este texto e mudaria algumas coisas mas quero que o leiam exactamente como o escrevi…

“As minhas considerações:

  • Sempre fui “a amigalhaça companheirona que desde o liceu cultivava o estilo maria-rapaz, era espertalhona e bem-disposta, cheia de energia e de ideias, sempre pronta para dizer asneiras e alinhar com a malta em programas.” Mas olha miga, nunca me faltaram gajos, menos no meu auge de GORDA. E quando eu digo gorda, eu digo mesmo GORDA, com 119,400kg. “Caíam como tordos” – se é bonito de dizer? Não. Mas o que tu estás a fazer também não.
  • Se os gajos tinham/têm que se embebedar para me comerem? Não. Muitas vezes tive eu que me embebedar para os comer. E não foram precisas 7 garrafas de vodka, uma garrafa de vinho bastou.
  • Mascote do grupo e pena de mim? Querida, pergunte a todas as pessoas que estudaram comigo e todos os grupos de amigos que tive durante a minha vida e verá que de mascote tenho muito pouco.
  • Estar sempre disponível para ir comer um bife à Portugália ou ao cinema? Muitas vezes tive de declinar esses convites com os meus amigos porque estava entretida… com estes mesmos gajos… mas ambos sóbrios, ok?

Aconselho-a a sair mais, mas a sair à séria e não me refiro a essas festas do croquete e poderá constatar que numa sala com 100 mulheres, 90 homens escolhem uma “gordinha” ao invés de uma “escanzelada com pretensões a escritora”. Recomendo-lhe também que dê uma passadinha em sites de sexo, já que é tão modernaça, e verá a quantidade de anúncios onde se “pedem” “gordinhas ou mesmo gordas”.

PS – Afinal tinha razão. As “gordinhas” dizem palavrões…ooops!”

37 thoughts on ““As Gordinhas e as outras”

  1. 1º Gordura não é doença, PRECONCEITO SIM É DOENÇA.

    2º No meu tempo as gordinhas eram gozadas pelas outras meninas magras, mas uma coisa é certa hoje grande parte delas são pessoas de sucesso e as gozadoras actualmente são gordas.

    3º Todo o homem gosta de ter onde agarrar, numa mulher magra nada tem que se lhe agarre.

    4º Actualmente já se vivem tempos de mudança começam a fazer-se desfiles plus size o que é a realidade da sociedade.

    5º Os antigos é que tinham razão gordura é formosura.

  2. Bruno Miguel: Ñão me parece que seja dor de corno. Acho mal é basear-se em coisas que são ridiculas. Vê-se mesmo que não tem amigas gordas.

    Anónimo: Não podes dizer isso tudo mas assinar no fim, please? Comentários anónimos é que não. Não leves a mal.

  3. Não percebo :
    Eu sempre fui magra. Infelizmente na escola era demasiado magra.
    Eu cá vi sempre as gordinhas com namorados e eu a xuxar no dedo :
    Acho que essa dita senhora se enganou…

  4. Madeirense: Vai à Menina veneno. O dela está brutal!

    Gata Cristina: É que ela não é magra, ela é escanzelada. Mas olha que as magras ^tinham mais gajos que as gordas. As escanzeladas é que têm menos que as gordas. Ehehehehe!

  5. São pessoas como estas que me metem nojo!
    Sempre a catalogar as pessoas, a julgar as pessoas e isso irrita-me.
    Sim, sou gordinha, sou a amigaça que diz palavrões (mas não muitos), que está sempre bem disposta, meia rapazada, sempre cheia de ideias e tenho uma ideia para ela: Cale-se que é assim que está melhor!
    Quando as tuas considerações só há uma coisa a dizer: dead on! You go girl!!!!!!!

  6. Fiquei enjoada com isto mas neste momento até estou divertida 😀

    E não usei uma info particular que tenho sobre ela mas vou dizer aqui que ninguem nos ouve… A gaja fez uma sessão fotografica para um livro e como tem muita vergonha de ser tão magra decidiu o fotografo, a maquiadora e quem podia estar presente 😀

  7. Fiquei mesmo chocada… as mulheres mais seguras de si que conheço são mulheres com quilos a mais. Eu, que de magra tenho pouco, gosto bem de mim e sinto-me bem capaz de entusiasmar um homem. Dois bofardos, era o que merecia.

  8. mas quem é que liga ao que essa gaja escreve? a mulher só escreve sobre clichés. nunca tirou uma da cabeça dela.
    mas daí a não ser senhora para fazer um bom bico, já me parece má fé, oh dora ahahhahah!

  9. Essa "querida" tem o condão de ter fodido com quem lhe editou o primeiro livro, dai pra frente…como vendeu uma serie de copias…acha-se uma "opinion-maker"…coitada!
    Não…nao sou fã de GORDAS exageradas…mas nao…nao gosto nem de magras…quanto mais escanzeladas…como a "sra" escritora! Acredito muito mais no sucesso de uma Gordinha de bem com a vida do que num ser como a MRP!
    Tenho dito!

  10. Foi o post do dia 🙂

    Dora, adorei, e creio que se ela tivesse lido a tua resposta iria se ver ainda mais "cabra escanzelada" sem nada para agarrar.

    Agora mais a sério. Nunca tendo lido nada escrito por essa fulana, foi de péssimo gosto ter saído com essas considerações, até porque talvez muitas das leitoras que se revêm na escrita dela, até devem ser gordinhas ou gordas.

    E já agora a minha opinião pessoal: vale muito mais a pena uma gordinha que tem sempre algo para agarrar do que um broche vindo de uma escanzelada, que na idade dela talvez até seja a coisa que mais se sente à vontade para fazer..

  11. Miss Murder: Para mim é uma mulher normal e aparentemente com problemas de auto-estima.

    Eve: Tu estás lá!

    Menina Veneno: A sério? E quem te contou isso? Um passarinho do mundo editorial? 🙂

    S: Não sabes o que me ri com essa dos bofardos…adorei!

    Kitte Rambles: Isto é mais uma maneira de vender livros. Ela que vá aos programas da manhã dizer isto a ver se tem coragem.

  12. dinona: Ela puta não pde ser porque não tem arcaboiço para levar muito pau!

    Ruca: Muito bom – a senhora dos clichés! É mesmo isso! Achas mau eu dizer que ela é senhora para não fazer um bom bico? Mas já achas bem ela dizer que as gordas só são comidas por gajos quando estão bêbados e desesperados?

    Chaparro: Mesmo as gordas exageradas têm quem as foda e sóbrios. Se ela subiu na horizontal é com ela. Não tem a ver com o assunto 🙂

    Martini Bianco: Eu não gosto de clichés e até há mais clichés das gordas serem melhores na cama. Dizem que têm de se esforçar mais para agradar. Ahahaha! Como diz uma grande amiga minha: há mercado para tudo.

    Margarida: Obrigada 🙂

  13. Não sou magra, nem gorda, sou normal mas AMEI este teu post…quem é aquela mulher para falar assim das pessoas, generalizar desta forma? Deve achar-se dona do mundo e possuidora da sabedoria máxima…o teu post está EXCELENTE! Parabéns!

  14. noiseformind: Obviamente que a gordura, tal como a magreza em execesso fazem mal e isso não está em causa. A única coisa que está em coisa são as gordas serem encalhadas e só serem comidas por bêbados quando estão no limite da fome.

    Lane Ferreira: Se calhar foi trocada por mais que uma 🙂

    Sara: Muito obrigada. AInda bem gostaste 🙂

    Pequena Lince: Obrigada, gaja!

    Calipso: Ehehehehe! Estiquei-me mas teve de ser 🙂

  15. Quando vi a grande crónica da Margarida fiquei impressionada ! Como é que uma crónica de tão baixo nível pode ser publicada pelo Sol.São estes os escritores que temos ?
    Uma opinião sem base e lógica alguma..
    Acho que a Margarida tem algum trauma, talvez por nunca ter-se conseguido sobressair num grupo ou ser trocada pela tal 'gordinha'!Temos pena, nem todos pensam tão 'superficialmente' e de maneira tão fútil como esta senhora (ainda bem!).
    São pessoas como esta grande escritora que tornam a sociedade num lixo, pura vergonha portuguesa..

  16. Cara Dora. Adorei o seu artigo.
    A esfomeada a Margarida não tem mais nada que fazer se não despejar a sua diarreia mental em livros e em outros comentários. Eu sempre apreciei raparigas com formosura, são mais gostosas, mais amorosas e têm onde "agarrar".
    Já ando com nojo dessa tipa que só diz merda da boca para fora, e ainda foi recentemente à rtp vomitar asneiras em relação ao povo português no que diz respeito ao desgoverno do nosso país.
    Portanto, se não me levar a mal, a Dora não deve perder o seu tempo com comentários em relação a esta esfomeada, carente, e pseudo-escritora.
    O seu blog tem qualidade e categoria a mais para este tipo de coisas. Continue o seu trabalho e parabéns. Felicidades.

    Pedro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *